Sobre a Divina Misericordia

1- A FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA

“Jesus mandou-me celebrar essa Festa da Misericórdia Divina no primeiro domingo depois da Páscoa.”(D.280)

“Pede ao Meu servo fiel que, nesse dia, fale ao mundo inteiro desta Minha grande misericórdia, que aquele que, nesse dia, se aproximar da Fonte da Vida, alcançará perdão total das culpas e penas. A Humanidade não encontrará a paz enquanto não se voltar, com confiança, para a Minha misericórdia. Oh! como Me fere a incredulidade da alma! Essa alma confessa que sou Santo e Justo e não crê que sou misericórdia, não acredita na Minha bondade. Até os demônios respeitam a Minha justiça, mas não creem na Minha bondade”. (D.300)

“As almas se perdem, apesar da Minha amarga Paixão. Estou lhes dando a última tábua de salvação, isto é, a Festa da Minha Misericórdia. Se não venerarem a Minha Misericórdia, perecerão por toda eternidade…. está próximo a dia da minha justiça”. (D.965)

“Na Minha festa, na festa da Misericórdia, percorrerás o mundo inteiro e trarás as almas que desfalecem à fonte de Minha Misericórdia. Eu as curarei e fortalecerei” (D. 206)

2- CONFISSÃO O TRIBUNAL DA MINHA MISERICÓRDIA

“Reze pelas almas, para que não temam aproximar-se do tribunal da minha misericórida. Não te canses de rezar pelos pecadores. Tu sabes o quanto as suas almas pesam em meu coração. Alivia a minha tristeza mortal , distribui a minha misericórdia”.(D.975)

“Filha, quando vieres ao pé dessa fonte da Minha Misericórdia, que é a Santa Confissão, verte sempre na tua alma o Sangue e a Água que saíram do Meu Coração, e enobrece-a. E cada vez que te aproximares da Santa Confissão, mergulha toda na Minha Misericórdia com grande confiança, para que possa derramar na tua alma a abundância da Minha Graça.
Quando vieres à Confissão, deves saber que sou Eu mesmo quem espera por ti no confessionário; oculto-Me no sacerdote, mas sou Eu próprio quem atua na alma. É aí que a miséria da alma se encontra com o Deus da Misericórdia.

Diz ainda às almas que dessa fonte da Misericórdia apenas colhem Graças com o vaso da confiança. E, se for grande a confiança delas, a Minha generosidade não terá limites. As torrentes da Minha Graça inundam as almas humildes. Os orgulhosos hão de permanecer na penúria e na miséria, porquanto a graça se afasta deles em direção aos humildes.” (D. 1602). “Ainda que a alma esteja em decomposição – como um cadáver, e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração e tudo se encontre perdido, as coisas não são assim para Deus. A maravilha da Misericórdia de Deus fará ressurgir a alma para uma vida plena”. (D. 1448).

3- PROMESSAS DE JESUS POR REZARMOSO TERÇO DA MISERICÓRDIA

“Recita, sem cessar, este Terço que te ensinei. Todo aquele que o recitar alcançará grande misericórdia na hora da sua morte. Os sacerdotes o recomendarão aos pecadores como a última tábua de salvação. Ainda que o pecador seja o mais endurecido, se recitar este Terço uma só vez, alcançará a graça da Minha infinita misericórdia” (D.687).
“As almas que rezarem este terço serão envolvidas pela minha misericórdia durante a sua vida e de modo particular, na hora da sua morte”.(D.754) “Defendo toda alma que recitar esse terço na hora da morte, como se fosse a Minha própria glória (…) Quando recitam esse terço junto a um agonizante, aplaca-se a ira de Deus, a misericórdia insondável envolve a alma e abrem-se as entranhas da Minha Misericórdia, movidas pela dolorosa Paixão de Meu Filho” (D. 811).

“Minha filha, exorta as almas a rezarem o terço que te dei. Pela recitação deste Terço agrada-Me dar tudo o que Me peçam. Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas, e a hora da morte deles será feliz. Escreve isto para as almas atribuladas: quando a alma vir e reconhecer a gravidade dos seus pecados, quando se abrir diante dos seus olhos todo o abismo da miséria em que mergulhou, que não se desespere, mas antes se lance com confiança nos braços da Minha misericórdia, como uma criança no abraço da sua querida mãe. Essas almas têm prioridade no Meu Coração compassivo, elas têm primazia à Minha misericórdia. Diz que nenhuma alma que tenha invocado a Minha misericórdia se decepcionou ou experimentou vexame. Tenho predileção especial pela alma que confiou na Minha bondade. Escreve que, quando recitarem esse Terço junto aos agonizantes, Eu Me colocarei entre o Pai e a alma agonizante não como justo Juiz, mas como Salvador Misericordioso” (D.1541).

4- IMAGEM  DE JESUS MISERICORDIOSO

“Desejo que esta Imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela e, depois, no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá. Prometo também, já aqui na Terra, a vitória sobre os inimigos e, especialmente, na hora da morte. Eu mesmo a defenderei como Minha própria Glória. Quero que essa Imagem seja benzida solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia” (D.47-49).
“O Meu olhar, nesta imagem, é o mesmo que eu tinha na cruz.” (D. 326) “Ofereço aos homens um vaso, com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia. O vaso é a Imagem com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (D. 327) “Já existem muitas almas atraídas ao Meu amor através da imagem. A Minha misericórdia atua nas almas através desta obra”. (D.1379)
“Algum tempo depois, Nosso Senhor lhe explicou o significado dos dois raios em destaque na imagem: Os dois raios representam o Sangue e a Água. O raio pálido representa a Água, que justifica as almas; o raio vermelho representa o Sangue, que é a vida das almas. Ambos os raios saíram das entranhas de Minha Misericórdia quando, na Cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança… Estes raios defendem as almas da ira do meu Pai. Feliz aquele que viver sob a proteção deles, porque não será atingido pelo braço da Justiça de Deus.” (D. 299)

5- MANEIRAS DE PRATICAR AMISERICÓRDIA PARA COM O PRÓXIMO

“Estou exigindo de ti atos de misericórdia, que devem decorrer do amor para Comigo. Deves mostrar-te misericordiosa com os outros, sempre e em qualquer lugar. Tu não podes te omitir, desculpar-te ou justificar-te. Eu te indico três maneiras de praticar a misericórdia para com o próximo: a primeira é a ação, a segunda a palavra e a terceira a oração.
Nesses três graus repousa a plenitude da misericórdia, pois constituem uma prova irrefutável do amor por Mim. É desse modo que a alma glorifica e honra a Minha misericórdia. Sim, o primeiro domingo depois da Páscoa é a Festa da Misericórdia, mas deve haver também ação, e estou exigindo o culto à Minha misericórdia pela solene celebração desta Festa e pela veneração da imagem que foi pintada. Por meio desta Imagem concederei muitas graças às almas. Ela deve lembrar as exigências da Minha misericórdia, porque mesmo a fé mais forte de nada serve sem as obras”. (D. 742)